segunda-feira, 19 de abril de 2010

Corredores de ônibus em São Paulo: necessidade urgente!

Muito se fala sobre o transporte sobre trilhos como solução para cidades de grande porte. Porém em muitos casos se esquece do ônibus que, se planejado de maneira eficiente, pode resolver os problemas com gasto consideravelmente menor. A algumas décadas atrás Curitiba resolveu dessa maneira, e a alguns anos atrás Bogotá, na Colombia, fez o mesmo e ambas servem de referência em todo o mundo.
Já a cidade de São Paulo têm a maior frota de ônibus do mundo e nem assim consegue resolver problemas de transito. Alguns meses atrás o preço da passagem subiu para R$2,70, tornando-se mais caro que o metrô. Com essa entrada de recursos a mais, imagina-se que melhoras significativas estão por vir, mas isso não é uma verdade completa.
O corredor da avenida Santo Amaro, por exemplo, é um bom exemplo de como NÃO se deve fazer. Lá existem paradas apertadas e em alguns casos uma mureta dividindo os dois sentidos. Em caso de quebra de algum ônibus ou mesmo de demora para embarque, outros ônibus ficam impossibilitados de passar gerando um congestionamento crescente.
Já o corredor de M'Boi Mirim, recentemente foi alvo de manifestação dos usuários. Algumas modificações começaram a ser feitas, porém ainda não se sentiu efetiva melhora.
A avenida Rebouças é outro bom exemplo de como não se projetar um corredor. Primeiro temos um túnel somente para carros sob a avenida Faria Lima, o "túnel da Marta", que mostra bem a visão do poder público de privilegiar o transporte individual ao público. Além disso temos três gargalos que acabam gerando filas de até 20 ônibus parados esperando para o embarque e desembarque. Felizmente no maior dos gargalos, o cruzamento com a avenida Faria Lima, estão sendo feitas algumas modificações que tornarão a plataforma com capacidade dobrada, podendo diminuir bem o congestionamento.


Antigas paradas Faria Lima do corredor de ônibus da Av. Rebouças


Futuras paradas Faria Lima do corredor de ônibus da Av. Rebouças

Esse tipo de parada é possível graças ao modelo de ônibus usado na cidade, com saídas e entradas pelos dois lados.

Fonte: http://www.onibusbr.com/2007_08_01_archive.html

Há também corredores de bastante sucesso, como o da avenida Ibirapuera. Esse corredor têm duas faixas nas aproximações das paradas que possibilita maior fluidez no embarque e desembarque, além de ser aberto para as faixas não exclusivas, que em caso de quebra de algum ônibus, podem ser usadas.
Nos resta cobrar por melhorias e criação de novos corredores e, quem sabe, uma integração total com o metrô, para aí sim podermos ter o ônibus como um transporte confiável e eficiente. Podendo também nos tornar uma referência nesse transporte.

(L. Alves)

Um comentário:

Filipe Coutinho disse...

outro corredor que funciona em SP é o da Av. Paes de Barros, mas o volume de tráfego é bem menor.

o problema lá são as vias de acesso, os ônibus têm que cruzar todas as faixas da avenida para voltar ao percurso, gerando congestionamentos grandes.