sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Feliz 2009! E com menos enchentes...

Olá meu caro leitor! O ano está apenas começando...
Estamos entrando juntos em 2009 e torcendo juntos também para que, mesmo com tantas "sacanagens" do ser humano ao planeta Terra, a natureza não se revolte tanto contra nós, por mais que mereçamos.
Acontece que se viu na última década uma boa quantidade de "avisos naturais", e já devíamos ter percebido que já passou da hora de pensarmos mais no todo do que em nós mesmos.
Demagogia a parte, vamos falar de um problema mais específico, e que ocorre tanto pela fúria da natureza diante de tanto descaso com o planeta, quanto pela falta de vontade dos políticos e falta de educação da população: as enchentes de rotina no verão dos paulistanos.
Mal começou o ano e já podemos ver nos noticiários os problemas causados pelas chuvas diariamente na cidade de São Paulo. E como dito acima, temos três causas prováveis, que juntas levam a população de áreas como a zona norte - afetados no último dia de 2008 - a perderem tudo em suas casas.
Uma primeira causa já comentado acima seria a respeito das mudanças climáticas. Essa porém temos que entender, afinal são milênios de destruição do planeta e agora não nos resta mais nada além de torcer para o impossível: não piorar. Já que mudanças de políticas energéticas estão longe de serem feitas.
Uma segunda causa, talvez a mais importante, é a falta de força política para essas mudanças. Por mais que se veja uma certa vontade dos governantes quanto ao rebaixamento da calha do rio Tietê e à limpeza de alguns córregos da cidade, o descaso ainda prevalece. Há regiões em que se promete obras a mais de 50 anos e até hoje pouco se viu. O caso de bairros da zona norte afetádos dias atrás.
O córrego do Ipiranga na zona sul por exemplo, parece que tem problemas desde a proclamação da independência e nunca terminam as obras.
A esperança é que no futuro se planeje mais a resolução dos problemas da cidade sem influências políticas, e sempre focado na melhoria da qualidade de vida da população.
Há ainda uma terceira causa. A falta de educação do povo da cidade e da grande São Paulo. O que mais se vê durante as enchentes são lixos flutuando pela cidade. E o pior é que esses lixos chegam tanto de córregos das grandes favelas, como os de classe média. Um descaso generalizado com a cidade e que pouco se fala nos noticiários. Poderiam sim haver políticas de conscientização mas mais do que isso, melhor educação ambiental. Atitudes muito simples podiam ajudar e muito a cidade.
Como se vê é um problema mais complexo do que parece, porém com um pouco de vontade de todos os lados, poderia ser minimizado diante de tantos problemas a resolver nesta cidade gigante e tão rica em diversidade cultural.
Um ótimo ano novo a todos.

(L. M. Alves)

Nenhum comentário: