quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Green Buildings e o Brasil

Ultimamente têm-se ouvido falar bastante dos "Green Buildings". Calma! Não são construções pintadas de verde por fora. Na verdade isso é uma certificação que é dada para construções projetadas para reduzir os impactos negativos ao meio ambiente.
A parte mais interessante é que o conceito não se restringe somente às "clássicas" economias de água e energia. O edifício deve ser ambientalmente "correto" durante a construção (diminuindo de 50 a 90% a geração de resíduos) e também deve promover o bem estar dos usuários durante a sua operação. Esse bem-estar se dá com uma melhor qualidade do ar interno (ar renovado mais vezes), uso de luz natural e isolamento acústico, por exemplo.
No Brasil, a certificação de construções ainda é algo bastante recente: apenas um edifício (Eldorado Business Tower, em São Paulo) possui o selo LEED - Leadership in Energy & Environmental Design e cinqüenta estão em processo de certificação. Nos EUA, em torno de mil construções já são certificadas e cerca de 11 mil devem conseguir o selo em breve.
Essa certificação envolve 4 categorias: Certified, Silver, Golden e Platinum, que são atingidas de acordo com o número de pontos que o prédio consegue seguindo certos tópicos determinados pelo LEED.
O custo de implantação para a obtenção do selo acaba saindo mais caro (cerca de 5% a 7% do valor total da obra) para as construtoras, mas estima-se que o preço do condomínio possa chegar a quase metade de um edifício comercial de alto padrão, devido ao reaproveitamento de água e menor gasto de energia com manutenção (alguns prédios possuem fachadas auto-limpantes).
A tendência é que a demanda de empreendimentos imobiliários comerciais tenha preferência por edifícios que tenham essas características porque além de contribuírem com o meio ambiente (um fator que influencia muito o marketing) também promovem economia para o usuário.

(G. Sória)

Nenhum comentário: